O que é o Minha Casa Minha Vida?

O Minha Casa Minha Vida (MCMV) é um programa de financiamentos do Governo Federal que oferece condições facilitadas para a aquisição do primeiro imóvel. Ele foi especialmente desenvolvido para pessoas de baixa renda conseguirem comprar seu imóvel sem comprometer o orçamento.

O benefício oferece uma série de vantagens, incluindo entrada facilitada e planos de pagamento de longo prazo. Para participar, no entanto, é preciso cumprir alguns requisitos. O mais importante deles é a renda, pois é o que determina a taxa de juros e o tipo de imóvel que pode ser adquirido.

Ser contemplado pelo programa pode ser a diferença entre permanecer no aluguel e conquistar o imóvel dos seus sonhos. Por isso, vale a pena saber como ele funciona e quais são as condições para participar do Minha Casa Minha Vida. Tudo isso você confere no post de hoje!

05

Quais são as vantagens do programa?

O grande atrativo do Minha Casa Minha Vida são as taxas de juros reduzidas, os subsídios e o prazo de pagamento. Não existe uma tabela fixa já que tudo depende da renda do comprador, mas de modo geral as condições do programa superam – e muito – as de outras opções de financiamento.

O beneficiário do MCMV pode financiar seu imóvel em até 30 anos com as menores taxas do mercado. Muitas vezes não é exigida entrada e os subsídios podem chegar até R$ 46.000,00. Além disso, o comprador ainda pode utilizar o FTGS para adiantar as parcelas e quitar o contrato antes do prazo.

Outra vantagem é que o valor da parcelada é calculado com base na renda do contratante. Assim, o programa garante que o financiamento não comprometa o orçamento familiar. Por fim, o benefício também abrange qualquer tipo de imóvel urbano. Então se você procura uma casa, apartamento, sobrado ou terreno, ele pode entrar no MCMV.

Quem pode usufruir desse benefício?

Por ser tão vantajoso, o Minha Casa Minha Vida não pode ser contratado por qualquer pessoa. O programa prioriza cidadãos com renda bruta de até R$ 7.000,00 que estão a procura de seu primeiro imóvel. Portanto, quem já usufruiu deste ou algum outro benefício imobiliário ou já possui um imóvel em seu nome não pode participar.

Por outro lado, o financiamento pode ser concedido à trabalhadores com registro em carteira, funcionários públicos ou autônomos. Basta que o solicitante comprove sua renda, podendo para isso utilizar seu holerite, um extrato de movimentações bancárias ou a declaração do Imposto de Renda.

Quanto aos imóveis, eles podem ser de qualquer tipo, mas é obrigatório tratar-se um imóvel novo ou na planta. Também há limitações quanto ao valor do imóvel e se ele é contemplado pelo benefício. Portanto, sempre questione seu corretor se o imóvel do seu interesse faz parte do MCMV ou peça para que ele lhe apresente as opções disponíveis pelo programa.

Como o Minha Casa Minha Vida funciona na prática?

Para contratar o benefício, é preciso apresentar uma série de documentos comprobatórios. Os mais importantes são os documentos pessoais, como RG e CPF, e os comprovantes de renda, como os que citamos anteriormente. Essas informações são enviadas para a Caixa Econômica Federal que irá analisar o perfil do cliente.

Quando o financiamento é aprovado, o cliente assina o contrato de compra junto ao correspondente bancário da imobiliária. Ele é responsável por todo processo, desde a aprovação do crédito até a assinatura do contrato. Este documento estabelece as condições de aquisição do imóvel, incluindo o valor de entrada, das parcelas e o prazo de quitação.

O cálculo das prestações é feito automaticamente e o comprador sabe quanto vai pagar antes de assinar o contrato. As variáveis que mais interferem no resultado são a renda e o valor do imóvel. Já a idade do comprador pode interferir no prazo de pagamento que, por sua vez, pode aumentar o valor mensal do financiamento.

 

Ficou com alguma dúvida sobre o Minha Casa Minha Vida? Deixe sua pergunta nos comentários que nós esclarecemos para você!