8 fatos sobre a permuta de imóveis

Permuta significa troca recíproca. É o que acontece quando duas pessoas concordam em trocar um bem por outro de igual valor em uma transação qualquer. No sentido mais correto do termo, a permuta não envolve dinheiro, apenas a troca direta de bens entre seus proprietários. Já a permuta de imóveis é um pouquinho mais complicada e flexível.

Confira 8 fatos sobre a permuta de imóveis para entender melhor esse processo!

Fato 1 – É um tipo diferente de contrato

A compra de um imóvel geralmente envolve o financiamento imobiliário. O cliente assina um contrato financeiro comprometendo-se a quitar o valor do imóvel com parcelas e juros pré-definidos.

Diferente da compra, a permuta de imóveis envolve outro tipo de contrato. Afinal, o cliente não assume um compromisso financeiro, mas se compromete a transferir um bem para outra pessoa. Trata-se de um contrato que formaliza a troca dos imóveis.

Fato 2 – Não precisa ser de igual para igual

A permuta não é restrita a imóveis de mesmo tipo ou valor. É possível trocar um apartamento por um sobrado ou uma casa por um terreno e assim por diante. O que acontece na maioria destes casos é que há diferença de valor entre os bens envolvidos.

Quem possui um apartamento e quer um sobrado, por exemplo, pode oferecer seu imóvel como parte do pagamento e quitar a diferença com um financiamento. Essa é uma saída para quem quer comprar um imóvel de maior valor e não possui recursos para a entrada.

IMAG1

Fato 3 – Não é exclusiva para imóveis

A permuta de imóveis é um pouco flexível e, por isso, ela pode envolver outros tipos de bens que não apenas outros imóveis. O mais comum são os veículos, geralmente carros ou motos, que compensam o valor da entrada e atuam como uma segurança para o vendedor.

O que será trocado e a porcentagem do valor coberto pelo bem oferecido depende da negociação entre as partes. De modo geral, os proprietários definem um valor máximo que aceitam na troca, sendo que o resto deve ser pago à parte.

Fato 4 – Serve tanto para imóveis novos quanto usados

Uma das maiores vantagens de comprar um imóvel usado é que os proprietários são muito mais flexíveis na negociação do que quando o imóvel é novo. Por esse motivo, a permuta é bem mais comum entre imóveis usados de pessoas físicas.

Por outro lado, você pode conseguir trocar o seu imóvel com uma construtora ou incorporadora. Geralmente, as construtoras aceitam um terreno próprio para construir e ao invés de pagar um valor, oferecem uma unidade do empreendimento no negócio.

Agora, quem tem um imóvel usado e quer oferecê-lo em troca de um novo terá mais dificuldade. Neste caso, compensa colocar o imóvel à venda e comprar o novo à vista, pois é mais raro encontrar um construtor que aceite permuta. Além disso, no pagamento integral você pode conseguir grandes descontos em preço, documentação ou outras facilidades.

IMAG2

Fato 5 – Os custos podem ser divididos

Fazer uma permuta de imóveis oferece duas vantagens financeiras. A primeira delas só é válida quando é uma troca direta entre imóveis de valores equivalentes. Neste caso, a Receita Federal entende que não houve acréscimo de bens e não cobra a tributação do imóvel no Imposto de Renda.

A outra vantagem é que o valor da documentação pode ser negociado. Via de regra o custo total é dividido igualmente entre as partes permutantes, mas é possível flexibilizar o negócio. Quando há uma diferença pequena de valor entre os imóveis, aquele cujo imóvel vale menos pode se comprometer a pagar a documentação ou uma porcentagem maior desse custo.

Fato 6 – Não é uma prática comum no mercado

Apesar de ser muito procurada por clientes que desejam trocar de imóvel, a permuta não acontece com muita frequência no mercado imobiliário. Justamente pelo motivo que explicamos no item acima. É mais fácil vender e comprar outro do que trocar diretamente.

O principal motivo está na dificuldade para encontrar duas pessoas com perfil tão parecido a ponto de aceitar fazer a troca. No geral, quem quer sair do imóvel onde está procura algo diferente e a permuta funciona melhor entre imóveis parecidos.

Quem quer um imóvel de maior valor do que o que possui também encontra obstáculos no caminho. Afinal, quem está vendendo prefere receber em dinheiro do que outro imóvel. São dois os motivos: a pessoa não quer ter o trabalho de revender o imóvel da troca e não se interessa por um imóvel de menor valor para morar.

IMAG3

Fato 7 – É mais indicada para perfis flexíveis

A permuta de imóveis envolve muita negociação, pois ambas as partes devem estar de pleno acordo sobre os termos da troca. Sendo assim, não é qualquer pessoa que tem o perfil para realizar esse tipo de transação.

Quem vai trocar deve estar disposto a participar ativamente do processo, estando em contato constante com o corretor e o proprietário. Além disso, precisa estar aberto a aceitar os desejos de outra pessoa e não apenas os seus. Quem tem uma ideia muito clara do que deseja ou não está disposto a abrir mão do que procura encontrará dificuldades para trocar.

Fato 8 – Você ainda precisa de uma imobiliária

Existe uma ideia errônea de que a permuta de imóveis é um processo mais simples do que a compra. Por envolver muito mais detalhes e ser mais flexível, é preciso redobrar a atenção para que hajam mal-entendidos ou problemas ao longo do processo.

Por isso, é importante envolver uma imobiliária no processo. Os profissionais dessa empresa serão capazes de avaliar a documentação de ambos os imóveis e firmar acordos justos. É a melhor maneira de evitar golpes e outros riscos de comprar direto com o proprietário na troca.

 

Quer trocar o seu imóvel? Fale conosco, nós podemos ajudar!