Proposta de Compra: devo assinar uma?

A proposta de compra é o documento que oficializa as condições de aquisição de um imóvel e formaliza a negociação entre vendedor e comprador. Apenas assinar uma proposta não garante que o imóvel será seu, mas é o primeiro passo para iniciar a compra.

Sua principal função é reservar a unidade que o cliente deseja adquirir, impedindo que ela seja vendida para outra pessoa. Pelo menos, depois do pagamento do sinal de negócio e enquanto a proposta estiver dentro da validade.

Esse também é um documento utilizado para enviar propostas de uma maneira mais formal, garantindo que, se aceitas, elas sejam cumpridas conforme o estabelecido. Quer entender melhor o que é a proposta de compra e descobrir se está na hora de assinar uma?

Continue a leitura!

O que é uma proposta de compra?

A proposta de compra é um documento utilizado para registrar um acordo entre o comprado e o vendedor sobre a aquisição de um imóvel. Ele contém todos os dados da compra.

São descritos os dados financeiros, como valor do imóvel, forma de pagamento e, quando é o caso, os detalhes do financiamento imobiliário. Isso inclui o valor da entrada, valor e quantidade de parcelas, taxa de juros e por aí vai.

Também inclui os dados do imóvel que está sendo negociado. Localização, número de quartos, vaga de garagem e adicionais que o proprietário pode oferecer, como pisos e outros acabamentos.

Por fim, o documento inclui os dados do comprador e do vendedor e um prazo de validade de 10 dias corridos. Recomenda-se, ainda, que a documentação do imóvel seja anexada a proposta.

A imobiliária elabora esse documento e faz três cópias que devem ser assinadas, primeiro, pelo comprador. Então, a proposta é encaminhada ao proprietário para análise e, se aceita o processo de compra pode ter continuidade.

Quais garantias a proposta assinada oferece?

Esse documento faz parte do processo de compra, a qual não acontece sem ele. Afinal, é preciso que ambas as partes, vendedor e comprador, estejam de acordo sobre como a venda irá acontecer.

A proposta de compra, portanto, formaliza o acordo entre as partes sobre o valor do imóvel e as condições de pagamento. É uma garantia, tanto para o cliente quanto para o proprietário, de que aqueles requisitos serão cumpridos nas próximas etapas.

Em outras palavras, o comprador não irá pagar nada a mais do que a proposta estabelece, nem o vendedor irá receber menos. É preciso, porém, que as condições se encaixam no perfil financeiro do cliente. Daí a necessidade de fazer uma aprovação de crédito primeiro.

A assinatura da proposta e o pagamento do sinal de negócio também garantem a reserva da unidade que o cliente quer comprar. Se o cliente assina a proposta, mas não paga o sinal, o proprietário pode ceder a unidade para uma proposta melhor e o cliente perde o imóvel.

O proprietário pode recusar ou oferecer uma contraproposta, mas com a orientação de um corretor as chances de ter a proposta aceita são bem grandes. Quando o cliente não pede nenhum desconto ou condição especial, a taxa de aceitação é de 100%.

Qual é o momento de assinar a proposta?

Não vale a pena fazer uma proposta se você ainda não está no estágio de conclusão da compra. Vale lembrar que esse documento ainda não garante a aquisição do imóvel, mas é o primeiro passo para que ela aconteça de fato.

Depois de ter assinado a proposta não tem por que voltar atrás. Inclusive, quem desiste da proposta que foi aceita pelo proprietário, exceto por motivos de força maior, pode pagar multas e perde o valor do sinal.

Em alguns casos, o cliente se apressa para assinar a proposta como objetivo de reservar a última unidade disponível. Isso é possível e pode ser uma estratégia que garante um bom negócio, desde que você conte com a ajuda de um corretor para não cair em furadas.

Por que a ajuda profissional é indispensável?

Porque sem ajuda profissional você corre todos os mesmos riscos de comprar direto com o proprietário. Infelizmente, há muitas pessoas de mal caráter que podem te induzir a assinar um acordo desvantajoso.

O proprietário pode, por exemplo, prometer um piso em porcelanato, mas não incluir essa informação na proposta. Sendo assim, se ele não entregar o prometido você não tem como recorrer, afinal esse acordo não foi formalizado oficialmente.

Esse tipo de equívoco é muito comum e fácil de cometido por pessoas que não estão acostumadas a lidar com documentação específica. Por isso, contar com a ajuda de um profissional é indispensável no sucesso e, principalmente, na segurança da sua proposta.

Sem contar que, quando você quer pedir um desconto ou condição especial, o corretor poderá te orientar para fazer uma proposta com melhores chances de ser aceita. Além de guiar a negociação para garantir que você não saia prejudicado de nenhuma forma.

 

Quer saber mais sobre os profissionais envolvidos na realização do seu sonho? Descubra quem é quem!